Etiquetas

, , , , ,


Terminada a página. Fechado o livro. Convicto de que algo havia modificado abruptamente, arraigados e antigos conceitos, me dei conta de que chegara ao destino. Levantei apressado, desajeitado, minutos antes de a porta cerrar atrás de mim.

Enquanto subia as escadas – convencionais, pois encaro cada passo como o compasso, e as rolantes são uma interrupção inesperada numa melodia quase perfeita – contemplei a dança encenada pelas sombras projetadas das pessoas no teto, em consonância com a batida da música que ditava o ritmo dos meus passos. Era uma peça musical, cuja trilha sonora, apenas eu conseguia ouvir em meio ao caos.

Há largos passos, passos vagos, acompanhados e solitários, todos com seus destinos cruzados, incongruentes, porém conectados. Enquanto sombra, parecidos, agora, elevados, estranhos uns aos outros. Tentando descobrir uma explicação plausível para o desconforto de alguns, conclui que talvez seja justamente essa capacidade estabelecida pela luz, que nos de a falsa sensação de que sejamos diferentes. Ninguém vê além de escolhas que não compreende.

São tantas cores, ideias, verdades, interações… Tudo isto atrelado ao que você tem a dizer. Existem inúmeras histórias, de diversos pontos de vista, que podem ser contadas por incontáveis maneiras, cada uma com um significado único. Assim, revelam-se os seres e estabelecemos a nossa identidade.

Nem melhor nem pior, falo da condição de como você se sente a respeito da forma como enxerga as pessoas, livre para reavaliar o que acredita ser o seu âmago inviolável. Sabe, notei que quando se é diferente dos outros, você acaba ficando sozinho. Não por uma escolha pessoal, mas pelo simples fato de que são poucos os inimigos da convenção, habilidosos na arte do desvio de pensamento, sutilmente evidenciado e sentenciado pelo tom de seus olhares.

Nossa desmedida percepção de tempo é a mesma, o que difere um destino do outro, são as escolhas que adotamos. Independente do caminho que trilhamos, o desfecho será o mesmo, e há quem duvide! É claro que isso arruína completamente o argumento daqueles que depositam na sua fé inabalável o motivo que sustente o seu desprezo. Eis a linha de pensamento que torna impossível conduzir uma convivência pacifica entre seres distintos.

Sempre há uma forma de desencorajar uma pessoa arguta, o favorito, é a combinação de pensamentos confusos e dissuadíeis. Trata-se de uma estratégia simples, ela visa minar toda e qualquer probabilidade de retaliação, pois tem por base erradicar da mente alvo, a sua capacidade racional de avaliar o que está a sua volta. Sobreviver é um ato de fé.

Às vezes vivemos sem nos preocupar, sem levar em conta as consequências da juventude. E noutras esquecemos, que a raiz da solução de muitos dos nossos problemas, encontra-se naqueles que representam o futuro. Todos os esforços devem ser voltados a eles, e a base da mudança, resume-se em uma palavra, educação.

Advertisements