.gestos


Experimentando o sereno no decorrer da noite, fitei a dúvida valendo-se de sua superioridade hierárquica para impor-se de forma abrupta. Indisciplinado, reagi a minha maneira. Em meio ao silêncio, escravo do tempo, pude perceber o quanto ainda restava. Do sorriso às palavras, e nos gestos (intimidadores e comunicativos) que ainda evito, sempre que me vejo sozinho. Tentando evitar o inevitável. É desnecessário! Ainda que precário, sobretudo injusto, destino incontestável.

Fujo a violência que me leva aos atos sem pensar, busco o silêncio que ainda espera a arte de interpretar o olhar. Aquele que às vezes interrompemos sem saber o que falar. Embriagado pela música crio novos espaços. Olho sem ver além do que a limitação me permita perceber. Em busca de qualquer ideia que me agrade. Continue reading “.gestos”

.chuva


“Lembrei ao ouvir músicas, que deveria esquecer o que tudo aquilo significava.”

O conjunto de todos aqueles argumentos medíocres, que tentavam de forma vã e frustrada descrever o inexplicável, naquele momento caiu por terra.

Na porta de um bar fechado contemplávamos a chuva. Olhando para o céu versava possibilidades. O calor de seu peito aquecia minhas costas. Havia uma construção em volta. Os pingos ditavam o ritmo de nossos pensamentos. De forma atípica e desritmada, o tempo parava. Continue reading “.chuva”

.desengano


Quando se tem mais do que se precisa. Às vezes temos de perder para saber o quanto valia. Fica difícil avaliar o valor das coisas, ou o que se sentia.

Quem sabe não possamos lapidar corretamente o nosso senso de realidade? Suponho que o primeiro passo seja colocarmos sob fortes refletores os assuntos que teimamos em suscitar. Sinto o gosto amargo do desespero que brota, quando tento ler no rosto, as feições da alma. Atordoemos a mente racional!

Eu, você e o desconhecido. Nada é definitivo? Tão estranhos e tão íntimos. Não há como mudar o insubstituível, ele levou muito tempo para chegar a isso. Senti uma transformação visceral, acompanhada de catarse, segundo as escolhas mais profundas que eu poderia fazer. Reflexões estas que me fazem respirar fundo, apaziguado; sensação indizível. Não intentei dissimular minhas intenções, apenas corrigi.

Refrigera-me os pensamentos ter em mente, como é bom degustar pacientemente cada uma das coisas que eu tenho no presente. Ninguém consegue viver a mesma história pra sempre, portanto, quando tiver alguma dúvida do sentido da vida, é pra frente! Continue reading “.desengano”

.argumentação


“Estamos acostumados com o comum, portanto, tudo aquilo que destoa, ainda que levemente do convencional, pode soar como irracional. E, por vezes, acreditamos nisso.”

Toda a argumentação tem por base uma mediação, afinal, não há como definirmos ou distinguirmos imparcialmente o certo do errado. Crescemos em volto a regras, normas de conduta, princípios morais, alguns imutáveis, outros meramente questionáveis. Não gosto disso.

O fato é que ao contrário da negociação, a argumentação quando devidamente moldada, soa razoável, e o que a fará convincente, além de um belo e dissimulado discurso eloqüente, dependerá, única e exclusivamente, do que se tem em mente. Nem todas as conclusões são precipitadas. Adoro isso.

Você não? Na verdade, você pode discordar completamente, ter um ponto de vista peculiar, singular, mas se a forma utilizada para expressar a idéia for educadamente apresentada, até o mais cético, provavelmente aceitaria isso.

.fantasmas


A cada dia, mais me convenço do quão tolo sou. Prendendo-me a velhos conceitos e preceitos. Seja por medo de perder ou pela ansiedade da vitória. Apenas quando nos damos conta de nossa mortalidade, voltamos atrás. Pessoas gostam de falar sobre pessoas. Por muito menos viveríamos todos em paz! Sem desilusões perturbadoras. Mas, aqueles velhos fantasmas sempre vêm nos importunar, de repente uma fisgada de dor, e, estamos condenados ao rancor.

Somos programados biologicamente para amar alguns, não todos. Você notou como é engraçado o fato de passarmos a vida inteira traçando metas e objetivos?! Estes, podem ser benéficos na vida profissional, mas não funcionam na vida pessoal. Algumas coisas são feitas porque precisamos fazê-las, não é? Continue reading “.fantasmas”

.simplicidade


Diante de uma determinada circunstância ou contexto no qual você esteja inserido. Algo simples torna-se complicado, bem como o contrário. Não é o que, quem ou quando, mas “como” você reage diante de tal’. Questiona-se… Mentiras sinceras lhe interessam, ainda que em pequenas porções de ilusão?! Entendera que não era o caso de empenhar-me na incerteza, numa prova de força com a dúvida. Tal’ era minha determinação, não sabia ainda como, decido a não criar incidentes. Alimentando, porém claros pensamentos de desforra, que se não fossem inspirados, como eram, única e exclusivamente, na sede pela verdade, teriam parecido muito obstinados e, quiçá reprováveis.